Loading...

quarta-feira, 27 de outubro de 2010

Escola Estadual Nossa Senhora Aparecida de Ilicinea uma trajetória de luta por uma educação de qualidade




     Em 24 de outubro de 1964, no Salão Paroquial, realizou-se a primeira reunião com a finalidade de fundar o Ginásio com a presença de várias pessoas como consta no histórico da Escola Estadual Nossa Senhora Aparecida. Arildo de Oliveira foi secretário da reunião criando a  comissão com os seguintes membros: Dr. João Vilela Teixeira, José Orlando Mendes, Paulo Bernardes de Faria, Lindolfo de Oliveira, Pedro Vilela, Sebastião Perez Moscardini e José Augusto de Oliveira, sendo presidente Padre Francisco Figueiredo.
     As dificuldades eram muitas, principalmente monetárias, Lindolfo de Oliveira coletou donativos para financiar a ida de professores a Guaxupé  para fazer o Curso da CADES. Os professores foram no mês de janeiro de 1965 para o referido curso em  uma caminhonete dirigida por Vítor Bueno tendo os pioneiros : Arildo de Oliveira(Português), Silvia Alves Moscardini (Matemática), Terezinha Aparecida Vilela Oliveira(Geografia), Sebastião Perez Moscardini(Francês), Marilene Cunha de Oliveira(História), Luzia Vilela(Ciências). Neste mesmo ano com a autorização em caráter provisório aos primeiros professores, teve inicio o ano letivo(março), com 62 alunos matriculados em duas turmas na “Escola Paroquial Nossa Senhora Aparecida” funcionando à noite em prédio metálico cedido pela Escola Estadual “Pio X”.
     Aos 20 de dezembro de 1965, pela Lei Estadual  Nº 3881 e graças ao Dr. José de Oliveira, o Exmo Sr. Governador do Estado, Dr. Jose de Magalhães Pinto, criou o Ginásio Estadual Nossa Senhora Aparecida de Ilicinea, Projeto Nº 2418/65, publicado no Minas Gerais, aos 07 de dezembro de 1965, autorizando a funcionar pela Portaria Nº 273, de 02 de junho de 1966(autorização do Curso de 1º grau). A Escola Estadual Nossa Senhora Aparecida foi instalada, em reunião especial, no Salão Paroquial em 29 de  janeiro de 1966, sendo o primeiro diretor Padre Francisco Figueiredo e a primeira secretária Mariângela de Oliveira. No final de 1968, saiu a primeira turma de formandos (8ª série), da qual foi  paraninfo Dr José de Oliveira.
     Em setembro de 1982  foi inaugurado à rua Doze de Outubro 198, o novo prédio da Escola Escola Estadual Nossa Senhora Aparecida funcionando anexa a Escola Estadual Pio X e em 1983 começaram as aulas. O Decreto Nº 26724, de 12 de março de 1987, incorporou o Colégio Particular “Wanderley Vilela¨, autorizando a criação do curso de 2º grau. Pelo  Decreto Nº 33318/94 de 30/12/1991, a Escola Pio X e a Escola Estadual Nossa Senhora Aparecida passaram a constituir  uma única unidade de Ensino Fundamental e Médio com a denominação de Escola Estadual Nossa Senhora Aparecida.
     Na parte de estrutura  física a Escola conta com laboratório,  biblioteca,  sala de informática,  sala de professores,  sala da diretoria, sala da secretaria, 2 quadras e  mais 14 salas de aulas, refeitório e banheiros masculino e feminino. A escola atende alunos do Sexto Ano do Ensino Fundamental ao 3º Ano do Ensino Médio;  e ainda uma  turma de 25 alunos em Tempo Integral das 7 as 17 horas; duas turmas no  Pav, uma  com alunos dos Sexto ao Sétimo ano, e outra com  alunos do Oitavo e Nono Ano; duas turmas no EJA, uma do Primeiro Período do Ensino Médio e outra do Terceiro Período do Ensino Médio; uma turma do  FIT- que  prepara os alunos para o trabalho , além de aulas de violão com o professor Silvio. Para a demanda um total de 943 alunos, 38 professores, 7 ATBs e 12 ASBs. Em 2010 os alunos deverão fazer as matriculas nos dias  13,14,15 e 16 de dezembro.
    A diretora atual é formada por uma diretora,  Suely Assunção de Oliveira e dois vice-diretor, Saulo Carvalho Silva e Ângela Vilela de Faria. Padre Francisco Figueiredo foi diretor da Escola desde a fundação até 1991, ano em que ele se aposentou. Jureceu Borges  assumiu a direção da Escola em 1987 no período em que Padre Francisco  foi conhecer a Terra Santa.  Hoje para ser diretor da escola é preciso participar de um  processo seletivo e ser aprovado. Após receber o Certificado de Diretor, o candidato  deverá ser eleito pelos alunos, funcionários e pais de alunos. Neste modelo Ivone Vilela foi a primeira a ser eleita para o período de 1992 a 1993, depois Suely Assunção de Oliveira foi eleita por dois mandatos de 1994 a 1999, Maria Diná Moscardini foi eleita de 2000 a 2004 e  Suely Assunção voltou a ser eleita em 2005 e esta até hoje na direção da Escola Estadual Nossa Senhora Aparecida.
     A entidade de Ensino participa de vários projetos colhendo bons resultados, dentre eles Escola Solidária, Projeto Semeando, Olimpíada Brasileira de Astronomia e Astronáutica, Jogos Escolares de Minas Gerais(JEMG) nas modalidades Futsal e Vôlei. No JEMG, foi medalha de ouro na fase Micro Regional no Futsal e ganhou várias medalhas de bronze nas modalidades disputadas. Outro grande destaque foi na Olimpíada Brasileira de Matemática das Escolas Públicas, sendo que a aluna Geovana  Lemos Passos foi Medalha de Bronze, e ganhou uma bolsa CNPQ na cidade de Varginha. Geovana recebeu o certificado em 2008, mas referente às Olimpíadas  2007. Na ocasião a  professora dela, Neire Cristiani, também  recebeu um prêmio em dinheiro pelo mérito da aluna. Outro destaque da Escola foi em 1993  com  o mérito de  2º lugar na Ciranda das Ciências, com um trabalho de pesquisa desenvolvido pelos alunos da professora Adriana Luzia de Oliveira Faria. A esta escola tenho um carinho especial, fui aluno e funcionário da mesma. Como aluno tive a felicidade de ser o primeiro a conseguir nota máxima(100 pontos) na história da escola, no ano de 1987 na matéria Geografia com o professor Sebastião Perez Moscardini.
 Matéria de Vítor Eugênio




2 comentários:

  1. Muito bem lembrada dessa escola de onde saíram tantos brilhantes profissionais em todas as áreas, lembro-me com grande carinho de sua inauguração, quanta festa para nossa cidade e seus habitantes, lembro-me ainda com mais carinho do inesquecível professor Fábio, com suas sábias fórmulas matemáticas, por quem sempre tive admiração e como esquecer a professora Aninha, brilhante mestra do Magistério e muitos outros incontáveis que passaram por minha vida, Sebastião Perez, Dona Jureceu, Ione Moscardini, Rosana Vilela, Rosany, brilhante Dona Diná com sua biologia e química e tantos outros mestres que apendemos a admirar ao longo de nossa caminhada. Tudo que sabemos, devemos aos mestres que passaram pela EENSA.

    ResponderExcluir
  2. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir